Cirurgia de catarata
em cães e gatos
  Glaucoma
  Ceratoconjuntivite
seca / ap. lacrimal
  Ceratite ulcerativa
  Conjuntivite
  Tumores palpebrais
  Entrópio/Ectrópio
  Herpesvírus canino e felino
  Uveíte recorrente do equino
  Ceratoconjuntivite bovina
  Síndrome de Horner
  Panuveíte canina(Despigmentação)
  Retinopatias
  Eletroretinografia nos animais
  Distrofias corneais
  Pannus
  Defeitos congênitos
  Seqüestro Corneal Felino
  Glossário Oftalmológico
Eletroretinografia em Cães , Gatos e Equinos


Antes da Eletroretinografia estar disponível o clínico ou oftalmologista veterinário se baseava para estabelecer diagnóstico de retinopatia, neurite ótica ou cegueira central, apenas na presença dos reflexos pupilares direto e indireto (Ilustração 1), ou quando possível na visualização do fundo do olho por oftalmoscopia.

Ilustração 1

As oftalmoscopias se dividem em oftalmoscopia direta e indireta. Devemos procurar alterações relativas à hiperefletividade,calibre dos vasos retinianos,hemorragia,descolamentos,pigmentações e forma do disco ótico.

Desenho Esquemático do Fundo do Olho

-Muitos cães possuem patologias retinianas de origem genética que podem agora ser diagnosticadas antes de haverem alterações oftalmoscópicas visíveis.

-O ERG é um meio seguro e confiável de acessar as camadas externas da retina e verificar sua funcionalidade comfirmando ou descartando estágios iniciais de doença retiniana que muitas vezes são de caráter hereditário.

-A maior frequencia de uso da ERG pelos oftalmologistas é a avaliação pré-operatória de pacientes com cataratas (onde devido às mesmas não é possível a visualização do fundo)e diagnóstico de condições que podem resultar em cegueira. Nos EUA nenhum animal é operado para catarata sem que seja feito um ERG

- A camada externa da retina é composta dos fotoreceptores chamados de hastes(rods) e cones que sofrem um distúrbio relativamente comun dos cães e gatos que é a atrofia progressiva da retina.A atrofia progressiva de retina é uma contra-indicação comum para candidatos à cirurgia de catarata e em animais de valor zootécnico reprodutivo elevado.Muitos animais desenvolvem cataratas secundariamente à degeneração retinal primária.O principal sintoma precoce da instalação da atrofia de retina é a queixa do proprietário que o animal não consegue enxergar em ambientes com pouca luminosidade= nictalopia(cegueira noturna).

As hastes são responsáveis pela visão noturna(escotópica) e detecção de movimento.Os cones pela visão fotópica(presença de luz) e visão colorida.O ERG deve ser utilizado para testá-los.

- Vários protocolos de ERG são praticados.Para investigarmos funções das camadas externas da retina(onde se encomtram os fotoreceptores envolvidos na maioria das condições patológicas retinianas apresentadas por cães e gatos) fazemos o chamado flash ERG que lança estímulos simples com as luzes do ambiente acesas , seguido de adaptaçao ao escuro(escotopia) por um período de 5 a 15 minutos com repetição dos estímulos variuando sua sensitividade(Milivolts/divisão) tempo base(Milisegundos/divisão) e estimulação(Hertz).O ERG mede a totalização das mudanças elétricas que ocorrem nos potenciais de membrana de todas as células da retina.A representação gráfica dessas reações nos mamíferos é representada por 4 elementos: Uma onda A negativa,uma onda B positiva,uma negatividade que se segue ao pico da onda B ,e uma onda C que vem a ser o segundo pico positivo. Usamos para analizar o ERG o pico negativo da onda A até o pico positivo da onda B.

- A unidade de eletroretinografia é composta de uma fonte estimuladora e uma gravadora.

 

-O exame pode ser feito em cães gatos, equinos e em qualquer mamífero que se suspeite de doença retiniana e se deva fazer um diagnóstico acurado da patologia em questão.

 

Utilidade dos exames eletrodiagnósticos quanto o local anatômica da lesão

Flash ERG : Verificação integridade da camada fotoreceptora

ERG Padrão : Verificação das camadas mais internas da retina(glaucoma) e Nervo Ótico

VEP : Todas as estruturas acima e mais o córtex visual

Em equinos as indicações são similares mas temos algumas peculiaridades:

O exame detecta onde está a lesão que provoca deficit visual ou cegueira de forma precisa(retina, nervo ótico ou córtex visual)em acidentes traumáticos além de ser indispensável para confirmação ou descarte de atrofia progressiva da retina em animais de raça pura como os PSI e a cegueira noturna equina comum na raça Apalloosa.

-Associado a ultrassonografia ocular que evidencia morfologicamente o segmento posterior do olho(se as retinas estão descoladas,massas ,liquefação de vítreo)o ERG complementa de forma dramática um serviço especializado em oftalmologia oferecendo a todos, oftalmologistas veterinários, medicos-veterinários e proprietários segurança e profissionalismo na hora de se lidar com problemas tão sérios como a indicação responsável da cirurgia de catarata ou diagnóstico precoce de patologias que podem levar à cegueira sempre visando a preservação ou possível restauração da visão dos animais.

Os fatos não cessam por serem ignorados(A.Huxley).

O ERG ajudará animais , proprietários e veterinários que como eu acreditam que o nosso aprendizado e melhorias profissionais duram a vida inteira.