Cirurgia de catarata
em cães e gatos
  Glaucoma
  Ceratoconjuntivite
seca / ap. lacrimal
  Ceratite ulcerativa
  Conjuntivite
  Tumores palpebrais
  Entrópio/Ectrópio
  Herpesvírus canino e felino
  Uveíte recorrente do equino
  Ceratoconjuntivite bovina
  Síndrome de Horner
  Panuveíte canina(Despigmentação)
  Retinopatias
  Eletroretinografia nos animais
  Distrofias corneais
  Pannus
  Defeitos congênitos
  Seqüestro Corneal Felino
  Glossário Oftalmológico
Aparelho Lacrimal/Ceratoconjuntivite seca


O aparelho lacrimal é dividido em sistema secretor e excretor.

O componente mais importante do aparelho lacrimal é o filme lacrimal.

Composição do filme Lacrimal

Camada Oleosa Externa Glândula de Meibônio (ret. evap.)

Camada Serosa Média Glândula Lacrimal Orbitária

Glândula de Nictante (comp. + imp. película lacrimal)

Camada Profunda (Pré-corneal) Glândulas Conjuntivais ( rica em mucina, leucócitos elizosina)

As Glândulas

1) Glândula Lacrimal Orbitária ( fonte primária de formação serosa lacrimal do homem e primatas)

2) Glândula de terceira Pálpebra ( aderida intimamente à cartilagem possui condutos peq.)

3) Glândula de Harder ( pouca desenvolvida no cão, presente no bovino, coelho e porco)

Glândulas Conjuntivais

4) Glândula de Krause ( glândula lacrimal acessórias)

5) Glândula de Wolfring

6) Células Celiciformes ( porcões secretoras de mucina)

7) Glândula de Manz

8) Criptas de Henle

9) Zona dos folículosLinfóides da Terceira Pálpebra

10) Glândula de Meibônio ( porções secretoras de lipídios)

11) Glândula de Zeiss

12) Glândula de Moll ( glândula sudoríparas)

Função do Filme Lacrimal

1) Atividade antibacteriana através lizosina e leucócitos

2) Manter atividade ótica da córnea pois é a primeira superfície de refração do olho possuindo índice de refração semelhante ao da córnea.

3) Suprir necessidades metabólicas pois tanto o oxigênio como os outros metabólicos são absorvidos pelo epitélio corneal.

4) Eliminar produtos indesejáveis.

5) Lubrificação das pálpebras

Doença do Aparelho Lacrimal

Excesso de Lacrimação

Doença do Sistema Secretor Ceratoconjuntivite Seca

Deficiência de Mucina

Doença do Sistema Excretor Ponto Lacr. Imperf., Ectópico e

Obstrução Mecânica

Ceratoconjuntivite Seca

Deficiência da parte aquosa do filme lacrimal causando mudanças inflamatórias progressivas na córnea e conjuntiva de variada gravidade podendo ocasionar freqüentemente cegueira.

Quando diminui a produção do componente seroso das lágrimas como mecanismo de proteção se aumenta a produção de muco pôr hiperplasia das células caliciformes especializadas que resulta em aumento do fluxo ocular com cobertura do olho e das pálpebras pôr exsudato espesso que se desidrata e se adere a porção central da córnea e das pálpebras em coloração esverdeada.

1) Sinais Clínicos Agudos Blefaroespasmos

Conjuntivite

Descarga Mucóide

Úlceras Corneais

Aparência Seca

2) Sinais Clínicos Crônicos Descarga Mucopurulenta

Fracasso Terapêutico

Neovascularização

Melanose

Ulceração Variável

Diagnóstico: Schirmer Tear Test < 8mm/min positivo

entre 8 e 10 mm/min suspeito

> 10 mm/min normal

Rosa Bengala epitélio permanece vermelho

se desvitalizando ou necrótico

Etiologia

Primária Falta Congênita de atividade lacrimal

Atrofia Espontânea (senil)

Secundária Cinomose

Conjuntivite Herpética felina

Hipotireoidismo

Hiperadrenocorticismo

Diabetes Mellitus

Demodicose

Estados hipotensivos agudos (choque, síndr. Addisonianas)

Dacrio- adenite

Alergia

Infecção ocular crônica ( dacriocistite e atrofia secundária)

Trauma da órbita ou glândulas

Falta de inervação glândula (infecciosa ou espontânea)

Tóxica (sulfas: diazina e salazina, fenazopiridina, Bactrin ® )

Cirurgia (Pré- anestésicos, anestésicos, pré med atropina,etc...)

Extirpação da glândula de terceira Pálpebra

Irradiação

Doença imunomediada

Idiopática

Raças afetadas congenitamente: Pug e Yorkshire Terrier

Raças predispostas à QCS: Cocker Spaniel Americano

Beagle, Chihuahua,Dachshund,

Bulldog Inglês, Lhasa Apso,Pug,

Schnauzer miniatura, Pequinês,

Shi-Tzu , Yorkshire terrier.

Diagnóstico

A QCS faz parte do chamado complexo do "Olho Vermelho"seu diagnóistico diferencial deve incluir

Glaucoma, Uveíte,Conjuntivite,Queratite e raramente Episclerite.

Sinais iniciais: Blefaroespasmo

Descarga Ocular mucóide

Úlceras corneais

Aparência de ressecamento

Sinais crônicos: Descarga mucopurulenta

Conjuntivite crônica

Neovascularização

Córnea insensibilizada

Pigmentação da córnea

Condição refratária à tratamento

Comfirmação do diagnóstico só pode ser feita através do Teste Lacrimal de Schirmer

Teste Lacrimal de Schirmer

Tiras de papel standardizado(papel filtro Whatman n 40) são utilizados em um período de 1 minuto.

O melhor teste lacrimal de Schirmer disponível no mercado é o da Schering-Plough Veterinária.São

tiras de papel estéreis com uma escala em milímetros impressa,possuindo ainda uma barra com corante

azul que ajuda na visualização do nível de umidade absorvida. Como já mencionado o teste dura 1 mi-

nuto e a leitura deve ser feita imediatamente após a retirada do fórnix palpebral inferior. O teste deve

ser feito sem o uso de colírios ou limpeza escessiva dos olhos,podendo-se em casos de secreção mito abundante proceder limpeza suave com cotonetes. Faz-se uma dobra na tira na altura da chanfradura e coloca-se no terço médio lateral do fórnix inferior mantendo-se o animal imóvel. Se a tira sair do lugar

deve-se proceder a um novo teste pois a umidade presente prosseguirá por capilaridade no papel filtro ocasionando resultados falso negativo. Outros papéis como os usados a partir de coadores de café são extremamente imprecisos e por isso nada confiáveis.