Cirurgia de catarata
em cães e gatos
  Glaucoma
  Ceratoconjuntivite
seca / ap. lacrimal
  Ceratite ulcerativa
  Conjuntivite
  Tumores palpebrais
  Entrópio/Ectrópio
  Herpesvírus canino e felino
  Uveíte recorrente do equino
  Ceratoconjuntivite bovina
  Síndrome de Horner
  Panuveíte canina(Despigmentação)
  Retinopatias
  Eletroretinografia nos animais
  Distrofias corneais
  Pannus
  Defeitos congênitos
  Seqüestro Corneal Felino
  Glossário Oftalmológico
Cirurgia de Catarata em Cães e Gatos


A catarata é uma opacidade no cristalino. O cristalino dos cães é uma lente biconvexa com pouco poder de acomodação (capacidade de focar objetos a distâncias variadas).O cristalino possui uma cápsula anterior e uma posterior ambas parecidas com celofane.

Algumas causas de catarata incluem:

Defeito genético, inflamação intra-ocular ,doenças da retina, traumatismos, diabetes e senilidade.

Raças com Cataratas Hereditárias

Afghan Hound

Beagle

Cavalier

Cocker Spaniel

Golden retriever

Husky Siberiano

Labrador retriever

Old English Sheepdog

Pastor Alemão

Pointer

Poodle Toy e Miniatura

Schnauzer Miniatura

Setter Irlandês

Welsh Corgi

West Highland White Terrier

O tratamento da catarata é cirúrgico. Segundo o Colégio Americano de Oftalmologia Veterinária (ACVO), não existem substâncias disponíveis capazes de tratar cataratas com algum efeito. Muitos colegas utilizam uma gama variada de drogas ( Bendalina, Clavirsol, Cinerária Marítima, etc...), desprovidos todos de ação terapêutica razoável. A cirurgia retira o cristalino.

Utilizamos a técnica mais moderna disponível a nível mundial que é a técnica de facoemulsificação Com o auxílio de microscópio cirúrgico,sob anestesia geral volátil, um aparelho sofisticado é inserido no interior do olho pôr uma incisão de apenas 3 mm e emite vibrações ultra-sônicas que destroem o cristalino, pulverizando-o e tornando possível sua aspiração pelo mesmo instrumento. O cão afácico ( sem cristalino) enxerga bem de longe e pouquíssimo de perto, mas recupera sua visão funcional e se livra das trevas em que suas cataratas o colocaram.

Seleção de Pacientes:

1) Cataratas provocando déficit visual , problemas intra-oculares(uveítes) ou rapidamente evoluindo.

2) Ser indivíduo tratável e possuir dono com disponibilidade para delicado pós-operatório.

3) Não ter outras doenças oculares graves ou fora de controle médico.

4) Alguns cães possuem doença na retina (atrofia progressiva da retina, ver retinopatias )concomitantemente com a maturação de suas cataratas . Esses cães normalmente não são bons candidatos , uma vez que o objetivo do tratamento cirúrgico é a recuperação da visão o que pode não ocorrer se o animal tiver esse problema no segmento posterior do olho(i.e. retina).

5) Um exame chamado Eletroretinografia é essencial para investigar a saúde da retina e selecionar candidatos. Uma ultrassonografia ocular tb é realizada para descarte de descolamentos da retina.

É sabido e aceito pôr cirurgiões veterinários e oftalmologistas humanos que o olho do cão apresenta maiores dificuldades cirúrgicas que o olho humano (exposição do olho ruim, mais hemorragia, mais aderências, maiores reações inflamatórias, cristalino firmemente aderido pôr robustas estruturas,etc...). Na nossa experiência a técnica de facoemulsificação é indiscutivelmente ,no cão, de superioridade avassaladora em relação a outras técnicas tradicionais empregadas no passado, não só pelo refinamento técnico mas principalmente pelos resultados finais relativos ao recobramento da função visual. Existem complicações na percentagem de aproximadamente 10 % dos casos. Essas complicações incluem glaucoma pós-operatório,sangramento secundário a descolamento de retina, infecção e inflamação que pode se tornar crônica. Nós tomamos todas as precauções existentes para superar esses riscos mas infelizmente eles existem. Nosso grau de especialização nos coloca em excelentes condições para enfrentar essas complicações mas não podemos eliminá-las por completo como gostaríamos.

Com o sucesso da cirurgia podemos esperar que o animal negocie um obstáculo e possua um grau de visão suficiente para voltar a ser um indivíduo ativo, feliz e integrado à rotina.

Esclarecimentos para Veterinários:

1)Cirurgia de catarata é um procedimento eletivo com bom grau de sucesso (90%).

2) Exames pré-operatórios como risco cirúrgico ou avaliação cardíaca são de responsabilidade do clínico que nos referendar o paciente.

3) Achamos imperativo a realização de um Eletroretinograma antes de perfazermos uma cirurgia de catarata, assim como uma ultrassonografia ocular. O antigo método de avaliação retiniana através dos reflexos pupilares está desatualizado"Respostas pupilares persistem por londos períodos de tempo ainda que após a perda detectável da visão "Dr. Gustavo Aguirre.

Se após o Eletroretinograma a retina do animal estiver com alterações deveremos conversar com os proprietários pois não poderemos garantir o recobramento da visão nos casos de Atrofia Progressiva de Retina.Se o ERG não estiver completamente "apagado" existe pequena chance do paciente recobrar a visão por um período indeterminado de tempo

4) A idade do animal não é fator impeditivo.Nossa anestesia é volátil com monitorização e os procedimentos de facoemulsificação são extremamente rápidos com o paciente não permanecendo anestesiado por mais de vinte minutos

5) Quanto mais precocemente operarmos melhores serão os resultados(cataratas imaturas). Hoje em dias operamos animais sem potencial de recobramento da visão apenas para controle da uveíte facogênica que sempre acompanham as cataratas dos cães e se tornam dolorosas podendo essa inflamação crônica a levar a glaucomas secundários muito dolorosos. Ou seja cataratas não ficam em silêncio. Elas sempre provocam reações inflamatórias que levam invariavelmente a variadas complicações.

Finalizando, nosso serviço está com as portas abertas para voce, colega acompanhar a cirurgia de seu paciente. Teremos grande prazer em recebe-lo em nosso serviço especializado em oftalmologia.

 

Mais informações sobre cataratas:

Catarata é o termo que designa toda opacidade no cristalino. O cristalino a grosso modo é uma lente biconvexa responsável pela importante função da acomodação visual(ajuste do olho para focalizar distancias variáveis). Alguns animais possuem essa faculdade mais desenvolvida que outros , daí a maior acuidade visual de alguns predadores como as aves de rapina , alguns felinos , etc.... O cristalino possui duas cápsulas , anterior que se confronta com a íris e a posterior que se confronta com a membrana hialóide intimamente aderida ao corpo vítreo. O seu interior pode ser classificado como região cortical(córtex) e região nuclear (núcleo) . O desevolvimento das cataratas ocorre pôr diversas etiologias, mas quaisquer que sejam as causas temos sempre envolvimento de alterações bioquímicas complexas relacionadas com a coagulação de proteínas. As fibras ( camadas simples ou em linhas de células especializadas cuboidais) do cristalino recebem energia e oxigênio através do humor aquoso que atravessa a cápsula bastante permeável . Pôr isso alterações na composição do humor aquoso pôr diversas causas podem resultar em perda da transparência ( catarata ) .

A classificação das cataratas pode ser quanto a sua localização: Capsular , sub -capsular , nuclear e cortical.

Quanto a idade em que ocorrem podem ser : Até 2 anos de idade no cão : congênita ou hereditária , sendo que a congênita pode ser deflagrada pelo estado materno ( infecção , toxemia , etc...).

De 2 anos até 5 ou 6 anos classificamos como cataratas juvenis ( hereditária , diabétogênica , Traumática , etc...).

De 6 anos em diante(no cão) e em 20 anos (cavalo) classificamos como cataratas senis.

Seu estado relativo a transparência é classificado como : Catarata incipiente , imatura , madura e hipermadura . Todas as fases são relacionadas aos achados encontrados na examinação clínica relativos ao reflexo tapetal : + , -- , + ou -- .

O tratamento das cataratas é cirúrgico , não existindo até o momento drogas disponíveis para estacionar ou tratar opacidades do cristalino.

As técnicas cirúrgicas existentes para tratamento das cataratas são : Aspiração/dissecção , intra-capsular ,extra-capsular e facoemulsificação.