QUESTÕES - SISTEMA CARDIOVASCULAR

1.      Ao se observar a posição do CORAÇÃO no organismo, NÃO podemos afirmar que:

a)      ocupa uma região denominada mediastino médio

b)      é coberto ventralmente pelo esterno e cartilagens costais

c)      cerca de dois terços do órgão se encontra a esquerda do plano mediano

d)      o ápice deste órgão aponta para cima, ligeiramente para direita, entre os pulmões

e)      está repousado sobre o diafragma

 2.      Estudando a estratigrafia do coração, vemos que este órgão, de dentro para fora, é composto por endocárdio, miocárdio e epicárdio. Este último é sinônimo de:

 a)      lâmina parietal do pericárdio fibroso

b)      lâmina visceral do pericárdio seroso

c)      lâmina serosa do pericárdio parietal

d)      lâmina fibrosa do pericárdio visceral

e)      duas respostas estão corretas

 3.      A CAVIDADE PERICÁRDICA, um espaço potencial,  ao ser acessada cirurgicamente não pode ser suturada, uma vez que poderá ocorrer grave hemorragia, levando a um quadro de tamponamento cardíaco. Onde a cavidade pericárdica está situada?

 a)      dentro do coração, profundamente ao endocárdio

b)      entre o epicárdio e a lâmina parietal do pericárdio seroso

c)      entre o pericárdio seroso e o pericárdio fibroso

d)      entre o pericárdio fibroso e a pleura mediastínica

e)      NRA

 4.      Dentre as seguintes estruturas, aquela, que NÃO trás sangue, durante qualquer período ,  para o ÁTRIO DIREITO, é:

 a)      veia cava inferior

b)      veia cava superior

c)      óstio do seio coronário

d)      valva  AV direita

e)      NRA

 5.      A estrutura que comunica o ÁTRIO ESQUERDO com o VENTRÍCULO ESQUERDO é:

 a)      valva AV esquerda

b)      valva bicúspide

c)      valva mitral

d)      duas respostas estão certas

e)      três respostas estão certas

 6.      O sangue proveniente da GRANDE CIRCULAÇÃO (circulação sistêmica) chega ao coração por meio da(das):

 a)      veias pulmonares

b)      veias brônquicas

c)      veias cavas

d)      aorta

e)      artéria pulmonar

 7.      Quando nos deparamos com um quadro de INFARTO DO MIOCÁRDIO, estamos frente a uma situação em que:

 a)      não há retorno venoso sistêmico

b)      ocorreu uma intensa fibrose ventricular

c)      o coração está parado, obrigatoriamente

d)      houve um problema com as artérias coronárias, oclusivo ou hemorrágico

e)      todas as respostas estão corretas

 8.      O coração possui um sistema próprio de condução, onde o potencial de ação se propaga não pelos nervos, mas por um conjunto de células musculares que se diferenciaram para realizar tal proeza. A SEQÜÊNCIA CORRETA de propagação do impulso desde o marcapasso natural até a estimulação da musculatura ventricular é:

 a)      nodo sinoatrial – nodo AV – fibras internodais – feixe de Hiss – fibras de Purkinje

b)      nodo AV – fibras internodais  - nodo sinoatrial – feixe de Hiss – fibras de Purkinje

c)      nodo sinoatrial – feixe atrioventricular – nodo AV – feixe de Hiss – fibras de Purkinje

d)      nodo AV – nodo sinuatrial – feixe atrioventricular – feixe de Hiss – fibras de Purkimje

e)      nodo sinoatrial – nodo AV – feixe atrioventricular – feixe de Hiss – fibras de Purkinje

 9.      Uma das artérias nutrícias do coração corre pelo sulco interventricular posterior. Estamos falando da ARTÉRIA INTERVENTRICULAR POSTERIOR. De qual vaso esta artéria é ramo?

 a)      da artéria coronária esquerda

b)      da artéria coronária direita

c)      da artéria do nodo sinoatrial

d)      da artéria circunflexa

e)      dos ramos marginais direitos

 10.  Os MÚSCULOS PAPILARES estão ligados, por meio das CORDAS TENDÍNEAS às:

 a)      valvas atrioventriculares

b)      válvulas atrioventriculares

c)      valvas semilunares

d)      válvulas semilunares

e)      duas respostas estão corretas

 11.  O(s) vaso(s) que mantêm relação com o ÁTRIO DIREITO é(são):

 a)      veia cava inferior

b)      veias pulmonares

c)      aorta

d)      artéria pulmonar

e)      artérias coronárias

 12.  Estudando superficialmente a fisiologia do coração, descobrimos que este músculo possui dois movimentos básicos, sístole, quando ejeta sangue, e diástole, quando o músculo se relaxa. Dentre os seguintes vasos, aquele que apresenta fluxo sangüíneo MAIOR na diástole é:

 a)      aorta

b)      veias cavas

c)      veias pulmonares

d)      artéria coronária esquerda

e)      artéria pulmonar

 13.  NÃO é correto afirmar que:

 a)      a pressão na aorta pode chegar a 35 mmHg

b)      na artéria pulmonar corre sangue arterial

c)      a aorta é um vaso eferente

d)      as coronárias são ramos da aorta

e)      a pressão arterial decresce durante o trajeto artéria->veia

14.  A sábia utilização de um estetoscópio é imensamente importante. Quando se deseja auscultar os batimentos cardíacos, ouvimos DOIS RUÍDOS. Qual a origem destes sons?

 a)      abertura brusca das valvas

b)      fechamento brusco das valvas

c)      fluxo sangüíneo

d)      contração atrial e ventricular

e)      movimento do coração, que se projeta para a parede torácica anterior

 15.  Se resolvermos medir a pressão no interior da CAVIDADE ATRIAL DIREITA, uma possível atitude seria:

 a)      auscultar no segundo espaço intercostal direito

b)      aferir a pressão por intermédio de um esfingomanômetro

c)      penetrar um cateter pela veia subclávia

d)      é impossível medir tal pressão

e)      chamar um interno da FMP

16.  Qual a diferença entre o VENTRÍCULO DIREITO E O VENTRÍCULO ESQUERDO?

a)      número de valvas maior no ventrículo direito

b)      no ventrículo direito corre sangue arterial e no esquerdo venoso

c)      no ventrículo direito temos uma parede muscular mais delgada

d)      no ventrículo direito temos músculos papilares

e)      no ventrículo esquerdo temos trabéculas cárneas

 17.  Na(s) seguinte(s) veia(s) corre sangue ARTERIAL:

 a)      veia cava inferior

b)      veia cava superior

c)      veias pulmonares

d)      veias jugulares

e)      veias coronárias

 18.  Não é característica da AORTA:

 a)      é um vaso aferente

b)      possui três porções

c)      por ela corre sangue arterial

d)      é um dos vasos da base

e)      possui espessa parede muscular

 19.  Podemos diferenciar ARTÉRIAS da VEIAS pelo seguinte critério:

 a)      as artérias são vasos de capacitância

b)      as veias são mais elásticas

c)      as artérias carregam sangue

d)      as artérias emitem tributárias durante o seu trajeto

e)      as artérias não possuem válvulas, ao contrário das veias

 20.  As VEIAS PULMONARES:

 a)      irrigam o parênquima pulmonar

b)      vão para o átrio direito

c)      carregam sangue venoso

d)      são vasos aferentes

e)      NRA

 21.  O DUCTO ARTERIAL é uma estrutura funcionalmente importante durante o período fetal. No adulto, este ducto se transforma num curto cordão fibroso, o ligamento arterial. Onde está situado tal ligamento?

 a)      entre a artéria coronária direita e a artéria coronária esquerda

b)      entre o tronco braquiocefálico e a carótida comum esquerda

c)      entre as duas carótidas comuns, direita e esquerda

d)      entre a veia pulmonar esquerda e a artéria pulmonar esquerda

e)      entre a artéria pulmonar esquerda e a aorta

 22.  São ramos da ARTÉRIA CORONÁRIA ESQUERDA:

 a)      ramo interventricular anterior e circunflexo

b)      ramos laterais esquerdos e circunflexo

c)      ramos interventriculares anterior e posterior

d)      ramo interventricular posterior e circunflexo

e)      ramo circunflexo e para o nodo sino-atrial

 23.  Em cerca de 90% dos cadáveres, três artérias são provenientes do ARCO DA AORTA. Quais são elas?

 a)      artérias coronárias e carótida comum

b)      artéria caródida comum direita, subclávia direita e carótida interna esquerda

c)      tronco braquiocefálico direito, subclávia direita e carótida externa esquerda

d)      tronco braquiocefálico esquerdo, carótida comum direita e subclávia direita

e)      tronco braquiocefálico direito, carótida comum esquerda e subclávia esquerda

 24.  Uma pequena dilatação situada em uma artéria é um importante órgão para a regulação da pressão sangüínea sistêmica por conduzir estímulos a medula oblonga que resultam em aumento ou diminuição da freqüência das batimentos cardíacos. Que estrutura é essa?

 a)      seio venoso

b)      seio aórtico

c)      seio carótico

d)      seio braquial

e)      seio jugular

 25.  Um jovem, durante uma briga, levou uma facada na região anterolateral do pescoço. Seus amigos imediatamente o levaram ao hospital mais próximo. Por sorte, ele encontrou a sua espera um cirurgião que freqüentava as aulas de anatomia. Após exame do corte, o conceituado cirurgião resolveu bloquear o fluxo sangüíneo para minimizar a hemorragia e possibilitar o rápido acesso cirúrgico à região. Rapidamente dissecou a artéria carótida comum e ao encontrá-la, impediu o fluxo de sangue nesta artéria por intermédio de uma pinça. O que acontecerá com a irrigação?

 a)      será totalmente prejudicada, por pouco tempo.

b)      será suprida pela artéria vertebral do mesmo lado

c)      será  suprida pela artéria tireóidea inferior e outros ramos da subclávia

d)      será suprida pelas anastomoses entre as artérias carótidas, dos dois lados

e)      duas respostas estão certas

 26.  Não é ramo da ARTÉRIA CARÓTIDA EXTERNA:

 a)      tiróidea inferior

b)      tiróidea superior

c)      facial

d)      occipital

e)      maxilar

 27.  Qual a origem da ARTÉRIA OCCIPITAL?

 a)      artéria facial

b)      artéria auricular posterior

c)      artéria vertebral

d)      artéria carótida externa

e)      artéria carótida interna

 28.  É ramo da porção CERVICAL da ARTÉRIA CARÓTIDA INTERNA:

 a)      artéria carótida externa

b)      artéria vertebral

c)      artéria occipital

d)      artéria cerebral média

e)      essa artéria não possui ramos nesta porção

 29.  O base do encéfalo possui uma ampla rede anastomótica, que permite, em situações particulares, uma possível e implementada circulação colateral. As artérias que formam esta rede são as carótidas internas, após penetrarem no canal carótico e a basilar. Qual o NOME desta rede e qual a origem da artéria BASILAR?

 a)      círculo arterial de Buchmann – artérias vertebrais

b)      circulo arterial de Petri – artérias cerebrais

c)      círculo arterial de Willis – artérias cerebrais

d)      circulo arterial de Buchmann – artérias cerebrais

e)      círculo arterial de Willis – artérias vertebrais

 30.  A artéria TORÁCICA INTERNA é ramo da:

 a)      aorta

b)      artéria subclávia

c)      artéria axilar

d)      artéria torácica comum

e)      artéria torácica suprema

 31.  NÃO faz parte do CÍRCULO ARTERIAL DE WILLIS:

 a)      artéria comunicante anterior

b)      artéria cerebral anterior

c)      artéria comunicante média

d)      artéria cerebral posterior

e)      artéria comunicante posterior

 32.  Podemos afirmar em relação à ARTÉRIA SUBCLÁVIA:

 a)      ela possui 2 porções – uma antes e outra após o músculo escaleno anterior

b)      ela passa atrás do músculo escaleno anterior

c)      a subclávia esquerda tem origem no tronco braquiocefálico

d)      a subclávia direita  tem origem diretamente na aorta

e)      duas respostas estão corretas 

33.  A ARTÉRIA VERTEBRAL penetra no crânio por meio de qual orifício?

 a)      forames dos processos transversos cervicais

b)      forame costotransversário

c)      forame magno

d)      canal carótido

e)      forame vertebral 

34.  O TRONCO TIREOCERVICAL – situado na ARTÉRIA SUBCLÁVIA, dá origem a três ramos. Quais são eles?

 a)      tireóideo inferior, tireóideo superior, supra-escapular

b)      tireóideo inferior, subescapular, cervical suprema

c)      tireóideo inferior, supra-escapular, cervical transverso

d)      tireóideo superior, supra-escapular, cervical transverso

e)      tireóidea superior, subescapular, cervical profunda

 35.  A ARTÉRIA TORÁCICA INTERNA  possui muitos ramos. São ramos desta artéria, com exceção de:

 a)      pericardicofrênica

b)      subcostais

c)      intercostais anteriores

d)      musculofrênica

e)      epigástrica superior

 36.  A ARTÉRIA AXILAR tem como limites:

 a)      borda interna da primeira costela e tendão do músculo escaleno anterior

b)      borda externa da primeira costela e tendão do músculo escaleno anterior

c)      borda lateral da primeira costela e tendão do músculo escaleno posterior

d)      borda interna da primeira costela e tendão do músculo redondo menor

e)      borda externa da primeira costela e tendão do músculo redondo maior

 37.  NÃO é ramo da ARTÉRIA AXILAR:

 a)      torácica suprema

b)      torácica lateral

c)      toracoacromial

d)      subescapular

e)      supra-escapular 

38.  A ARTÉRIA BRAQUIAL é uma importante artéria. Tendo como base esta artéria NÃO podemos afirmar que:

 a)      se divide distalmente em duas outras artérias: artéria radial e ulnar

b)      podemos aferir a pressão sistólica e diastólica por intermédio desta artéria

c)      é a principal artéria do antebraço

d)      possui ramos importantes como braquial profunda e colaterais ulnares

e)      corre medialmente ao músculo bíceps braquial

 39.  O COTOVELO possui uma importante rede anastomótica, ao redor da sua articulação. Quais são as corretas vias, numa situação sem variação anatômica?

 a)      colateral ulnar superior com recorrente ulnar anterior

b)      colateral ulnar inferior com recorrente ulnar posterior

c)      recorrente interóssea com recorrente radial

d)      todas estão erradas

e)      todas estão certas, exceto d

 40.  Quando queremos aferir a FREQÜÊNCIA CARDÍACA, qual artéria que utilizamos mais freqüentemente?

 a)      artéria braquial

b)      artéria radial

c)      artéria ulnar

d)      artéria interóssea anterior

e)      artéria interóssea posterior

 41.  No antebraço, anteriormente a membrana interóssea, encontramos a artéria interóssea anterior, e, posteriormente, a artéria interóssea posterior. Ambas as artérias são provenientes da ARTÉRIA INTERÓSSEA COMUM. Esta ultima é ramo da:

 a)      artéria interóssea suprema

b)      artéria braquial

c)      artéria ulnar

d)      artéria radial

e)      artéria colateral ulnar superior

 42.  O ARCO PALMAR SUPERFICIAL é formado por:

 a)      artéria radial e artéria interóssea comum

b)      artéria ulnar e artéria interóssea posterior

c)      artéria radial e artéria interóssea anterior

d)      artéria ulnar e ramo palmar superficial da artéria radial

e)      artéria radial e ramo palmar superficial da artéria ulnar

 43.  A AORTA TORÁCICA começa na borda caudal da quarta vértebra torácica, onde se continua com o arco aórtico. Levando em consideração a aorta torácica, NÃO podemos afirmar que:

 a)      é a primeira porção da aorta descendente

b)      o vaso descreve uma curva de concavidade ventral

c)      atravessa o hiato aórtico no diafragma e, a partir daí, é denominada aorta abdominal

d)      irriga o parênquima pulmonar por intermédio das artérias bronquiais, seus ramos

e)      desce inicialmente a direita da coluna vertebral e em seguida, passa a ser anterior a ela

 44.  NÃO são ramos da aorta torácica:

 a)      intercostais posteriores

b)      frênicos superiores

c)      frênicos inferiores

d)      mediastínicos

e)      esofágicos

 45.  As artérias bronquiais esquerdas são, geralmente, em número de duas e se originam diretamente da aorta torácica. A ARTÉRIA BRONQUIAL DIREITA usualmente se origina da:

 a)   artéria pulmonar direita

b)   primeira intercostal aórtica ou da artéria bronquial esquerda cranial

c)   artéria esofágica

d)      artéria mediastínica ou da intercostal anterior

e)      diretamente do arco da aorta

 46.  Quando precisamos fazer a drenagem do espaço pleural, devemos introduzir um cateter ACIMA da margem superior da costela. Com isso impedimos que sejam lesadas algumas estruturas importantes, como artérias, veias e nervos. As artérias em questão são as intercostais anteriores. Qual a origem destas artérias e a relação entre elas e as outras estruturas na parede anterior do tórax?

 a)      origem – aorta torácica, relação – medial ao nervo e a veia intercostal

b)      origem – aorta abdominal, relação – superior ao nervo e à veia intercostal

c)      origem – aorta torácica, relação – inferior ao nervo e à veia intercostal

d)      origem – torácica interna, relação – medial  ao nervo e à veia intercostal

e)      origem – torácica interna, relação – superior ao nervo e à veia intercostal

 47.  Os ramos frênicos superiores, que são provenientes da aorta torácica, participam da irrigação do diafragma. Além deste ramo outros contribuem também para a irrigação deste músculo estriado. Quais são eles? 

a)      Esofagicofrênica, musculofrênica e frênica inferior

b)      Musculofrênica, pericardicofrênica e frênica inferior

c)      Pericardicofrênica, bronquiofrênica e frênica inferior

d)      Bronquiofrênica, mediastinicofrênica e frênica inferior

e)      Mediastinicofrênica, subcostofrênica e frênica inferior

 48.  Em relação às ARTÉRIAS ESOFÁGICAS, NÃO podemos afirmar que:

 a)      elas são ramos viscerais da aorta torácica

b)      elas formam uma cadeia de anastomoses em torno do tubo

c)      se anastomosam também com ramos da artéria tireoidéia inferior

d)      correm em direção anterior para o esôfago

e)      NRA

 49.  São ramos das ARTÉRIAS TORÁCICAS INTERNAS, que se originam ao nível do terceiro, quarto e quinto espaços intercostais. Aumentam consideravelmente durante um período específico. Quais são eles?

 a)      ramos tímicos

b)      ramos esternais

c)      ramos mamários

d)      ramos torácicos laterais

e)      artéria intercostal lateral

 50.  O últimos ramos da AORTA TORÁCICA são:

 a)      esofágicos

b)      mediastínicos

c)      pericárdicos

d)      frênicos superiores

e)      subcostais

 51.  Dorsalmente está separada das vértebras lombares e discos intervertebrais pelo ligamento longitudinal anterior e veias lombares esquerdas. Do seu lado direito estão a veia ázigos, cisterna do quilo, ducto torácico e pilar direito do diafragma. Do lado esquerdo estão algumas alças do intestino delgado e pilar esquerdo do diafragma. Esta é a anatomia de relação da(s):

 a)      aorta torácica

b)      aorta abdominal

c)      artéria torácica interna

d)      artéria intercostal posterior

e)      artérias esofágicas

 52.  A AORTA ABDOMINAL, continuação da aorta torácica, emite vários ramos durante o seu trajeto. Dentre os seguintes ramos, aquele que não tem equivalente contralateral, ou seja, é um ramo impar deste vaso é:

 a)      artéria frênica inferior

b)      artéria renal

c)      artéria gonadal

d)      artéria mesentérica inferior

e)      artéria supra-renal

 53.  O TRONCO CELÍACO, um poderoso ramo da aorta abdominal, é o responsável pela irrigação de muitas vísceras. Normalmente se divide em três grandes ramos. Quais são eles?

 a)      gástrico direito, hepático comum, esplênico

b)      gástrico direito, hepático própria, mesentérico superior

c)      gástrico direito, hepático comum, ileocólico

d)      gástrico esquerdo, hepático comum, esplênico

e)      gástrico esquerdo, hepática própria, ileocólica

 54.  A seguinte artéria possui um ramo anterior, um ramo posterior e um terceiro, que é chamado ramo cardioesofágico. De qual artéria estamos falando?

 a)      gástrica direita

b)      gástrica esquerda

c)      gastroepiplóica esquerda

d)      gastroepiplóica direita

e)      lombar

 55.  NÃO é irrigado(a) pelo TRONCO CELÍACO:

 a)      estômago

b)      fígado

c)      baço

d)      duodeno

e)      jejuno

 56.  Ocorre uma importante anastomose entre as artérias: GASTROEPIPLÓICA ESQUERDA e GASTROEPIPLÓICA DIREITA na grande curvatura do estômago. Qual a origem destas artérias?

 a)      gastroepiplóica esquerda – esplênica, gastrepiplóica direita – gastroduodenal

b)      gastroepiplóica esquerda – gástrica esquerda, gastroepiplóica direita – gástrica direita

c)      gastroepiplóica esquerda – gatroduodenal, gastroepiplóica direita – esplênica

d)      gastroepiplóica esquerda – tronco celíaco, gástroepiplóica direita – mesentérica superior

e)      NRA

 57.  Qual a SEQÜÊNCIA CORRETA?

 a)      tronco celíaco -> artéria gástrica esquerda -> gastroepiplóica esquerda

b)      tronco celíaco -> artéria hepática comum -> artéria gastroduodenal

c)      tronco celíaco -> artéria mesentérica superior -> artéria ileocólica

d)      tronco celíaco -> artéria hepática própria -> artéria hepática comum

e)      duas respostas estão corretas

 58.  A ARTÉRIA ESPLÊNICA caminha em direção ao baço. Durante o seu trajeto emite diversos ramos importantes, que irrigam o estômago. Quais são eles?

 a)      gástricos curtos

b)      gástrica esquerda

c)      gastroepiplóico esquerdo

d)      duas respostas estão corretas

e)      três respostas estão corretas

 59.  NÃO é(são) ramo(s) da ARTÉRIA MESENTÉRICA SUPERIOR:

 a)      jejunoileais

b)      ileocólico

c)      cólico direito

d)      cólico esquerdo

e)      cólico médio

 60.  A ARTÉRIA APENDICULAR, que desce dorsalmente à parte final do íleo e penetra no mesentério do apêndice vermiforme, é ramo de qual vaso?

 a)      artéria cólica média

b)      artéria cólica direita

c)      artéria ileocólica

d)      artéria mesentérica inferior

e)      artéria gonadal

 61.  O seguinte vaso é ramo da ARTÉRIA MESENTÉRICA INFERIOR:

 a)      artéria retal superior

b)      artéria retal inferior

c)      artéria retal média

d)      artéria cólica direita

e)      artéria cólica média

62. Qual a origem das ARTÉRIAS SUPRA-RENAIS?

 a)      artérias renais

b)      artéria renal direita

c)      artéria renal esquerda

d)      artérias intercostais posteriores

e)      aorta abdominal

 63.  Ao nível da quarta vértebra lombar, do lado esquerdo da CV, a aorta se divide em duas artérias. Em relação a estas artérias, podemos afirmar que:

 a)      a artéria ilíaca externa é também chamada de artéria hipogástrica

b)      a artéria ilíaca externa fornece ramos importantes para a irrigação da coxa

c)      a artéria ilíaca externa é duas vezes maior do que a ilíaca interna, no feto

d)      a circulação após ligadura da artéria ilíaca interna é realizada por inúmeras anastomoses

e)      a artéria ilíaca interna drena a pelve e a ilíaca externa drena o membro inferior

 64.  É importante ramo PARIETAL da ARTÉRIA ILÍACA INTERNA:

 a)      artéria vesical inferior

b)      artéria retal

c)      artéria uterina

d)      artéria iliolombar

e)      artéria sacral mediana

 65.  A artéria vesical inferior é ramo direto da artéria ilíaca interna. Qual a origem da ARTÉRIA VESICAL SUPERIOR

 a)      aorta abdominal

b)      artéria sacral mediana

c)      artéria ilíaca externa

d)      artéria umbilical

e)      artéria gonadal

66.  A artéria glútea superior é ramo direto da artéria ilíaca interna. Qual a origem da ARTÉRIA GLÚTEA INFERIOR

a)      artéria femoral

b)      artéria ilíaca externa

c)      artéria ilíaca interna

d)      artéria obturatória

e)      artéria sacral lateral

 67.  Qual a correta relação da origem da irrigação do RETO?

 a)      artéria retal superior: artéria mesentérica inferior

b)      artéria retal média: artéria ilíaca interna

c)      artéria retal inferior: artéria pudenda interna

d)      duas respostas estão corretas

e)      três respostas estão corretas

 68.  A ARTÉRIA PROFUNDA DO PÊNIS e a ARTÉRIA DORSAL DO PÊNIS possuem origem comum. Qual é a origem destas artérias?

 a)      artéria uretral

b)      artéria pudenda interna

c)      artéria do bulbo

d)      artéria perineal

e)      artéria umbilical

 69.  Além dos vários pequenos ramos para o psoas maior e linfonodos vizinhos, a ARTÉRIA ILÍACA EXTERNA dá origem a dois ramos de grande tamanho. Quais são eles?

 a)      artéria circunflexa ilíaca profunda e artéria epigástrica inferior

b)      artéria circunflexa ilíaca profunda e artéria epigástrica superior

c)      artéria femoral e artéria glútea inferior

d)      artéria femoral profunda e artéria glútea inferior

e)      artéria femoral profunda e artéria glútea superior

 70.  A ARTÉRIA CREMASTÉRICA ( artéria espermática externa ), que acompanha o funículo espermático tem importante função na irrigação do músculo cremaster e das túnicas do funículo. Qual a origem deste vaso?

 a)      artéria femoral

b)      artéria epigástrica inferior

c)      artéria ilíaca interna

d)      artéria ilíaca externa

e)      artéria umbilical

 71.  Ao estudar a ARTÉRIA FEMORAL, podemos afirmar que este vaso:

 a)      passa superficialmente ao ligamento inguinal

b)      é a principal artéria da perna

c)      no terço superior está contida no triângulo femoral

d)      no terço médio da coxa está contida no canal do adutor (de Hunter)

e)      duas respostas estão corretas

 72.  A anatomia de relação entre a ARTÉRIA FEMORAL E A VEIA VEMORAL é, levando-se em consideração a artéria:

 a)      anteriormente à parte proximal e lateralmente à parte distal

b)      posteriormente à parte proximal e medialmente à parte distal

c)      lateralmente à parte proximal e anteriormente à parte distal

d)      medialmente à parte proximal e posteriormente à parte distal

e)      sempre posteriormente em todo o percurso

73.  Depois da ligadura da ARTÉRIA FEMORAL, os principais canais que garantem a circulação são as anastomoses entre:

 a)      ramos glúteos superior/inferior da ilíaca interna e as circunflexas femoral                    medial/lateral

b)      ramo obturatório da ilíaca interna com o circunflexo femoral medial da profunda

c)      pudenda interna da ilíaca interna com pudenda externa/superficial da femoral

d)      circunflexa ilíaca profunda da ilíaca externa com circunflexa femoral

e)      todas as alternativas estão corretas

 74.  É(são) ramo(s) da ARTÉRIA FEMORAL:

 a)      epigástrica superior

b)      epigástrica inferior

c)      epigástrica superficial

d)      duas alternativas corretas

e)      três alternativas corretas

 75.  A artéria FEMORAL PROFUNDA, um ramo importante da artéria femoral, também se ramifica no interior da coxa. São seus ramos, EXCETO:

 a)      ramos perfurantes – penetrando no adutor magno

b)      ramos musculares – alguns terminam, outros perfuram o adutor magno

c)      ramos superficiais – alguns terminam no tecido subcutâneo, posteriormente

d)      artéria circunflexa femoral medial -  divide-se em ramos ascendente e transverso

e)      artéria circunflexa femoral lateral – ascende anteriormente a articulação do quadril

 76.  Em relação à ARTÉRIA POPLÍTEA podemos afirmar que:

 a)      é ramo direto da ARTÉRIA ILÍACA EXTERNA

b)      caminha no cavo poplíteo, anteriormente à articulação do joelho

c)      medialmente está o bíceps femoral e lateralmente o semitendinoso e semimembranoso

d)      recebe seu nome no local onde o vaso precedente perfura o forame do adutor magno

e)      todas as respostas estão erradas

 77.  A  lesão na ARTÉRIA POPLÍTEA é freqüente causa de hemorragia no membro inferior, qual o motivo das lesões neste vaso?

 a)      sua delgada parede muscular

b)      sua espessa parede muscular

c)      sua desproteção

d)      seu atrito com a tíbia

e)      seu atrito com a fíbula

 78.  As ramificações da ARTÉRIA POPLÍTEA é(são):

 a)      artéria superior medial do joelho

b)      artéria superior lateral do joelho

c)      artéria inferior medial do joelho

d)      artéria inferior lateral do joelho

e)      todas acima e outras como cutâneos e musculares

 79.  A ARTÉRIA DESCENDENTE DO JOELHO é ramo da:

 a)      artéria ilíaca externa

b)      artéria femoral

c)      artéria poplítea

d)      artéria tibial

e)      artéria fibular

 80.  Com relação à ARTÉRIA BICCIPITAL podemos afirmar que:

 a)      é importante ramo da artéria femoral

b)      possui ampla anastomose com a artéria femoral profunda

c)      não é possível a medida do pulso arterial neste vaso

d)      possui parede muscular mais delgada que a sua precedente

e)      não existe tal artéria no corpo humano

 81.  Existe uma intensa vascularização ao redor da articulação do joelho. Essa rica rede de vasos permite intensa mobilização de sangue durante uma atividade muscular intensa. Essas redes são chamadas de:

 a)      plexo superficial e plexo profundo

b)      plexo lateral e plexo medial

c)      plexo anterior e plexo posterior

d)      plexo superior e plexo inferior

e)      plexo adiposo e plexo muscular

 82.  É ramo da artéria poplítea, seus 2/3 superiores do seu trajeto repousam sobre a membrana interóssea. No tornozelo ela é cruzada, do seu lado lateral para o medial, pelo tendão do extensor longo do hálux. Estamos nos referindo a qual vaso?

 a)      artéria inferior medial do joelho

b)      artéria tibial anterior

c)      artéria tibial posterior

d)      artéria fibular

e)      artéria interóssea

 83.  Qual a origem da ARTÉRIA FIBULAR?

 a)      artéria poplítea

b)      artéria tibial posterior

c)      artéria tibial anterior

d)      artéria recorrente tibial posterior

e)      variável, na maioria das vezes a artéria tibial anterior ou posterior

 84.  Um importante vaso relacionado com o pé é a ARTÉRIA DORSAL DO PÉ. Ela corre anteriormente à articulação do tornozelo, ao longo da borda tibial do dorso do pé, para a parte proximal do primeiro espaço intermetatársico, onde se divide em dois ramos: primeiro metatárcico dorsal e plantar profundo. A ARTÉRIA DORSAL DO PÉ?

 a)      bifurcação da artéria tibial posterior

b)      ramo da artéria tibial posterior

c)      continuação da artéria tibial posterior

d)      continuação da artéria tibial anterior

e)      ramo da artéria tibial anterior

 85.  O(s) ramo(s) terminal(terminais) da ARTÉRIA TIBIAL POSTERIOR é(são):

 a)      plantar medial

b)      plantar lateral

c)      artéria tibial recorrente

d)      artéria calcanear

e)      duas respostas estão corretas

 86.  As VEIAS PULMONARES drenam o sangue oxigenado e o levam ao coração para ser propelido para o resto do corpo. Em relação às veias pulmonares, podemos afirmar que:

 a)      elas são superiores à artéria pulmonar no hilo do pulmão esquerdo

b)      no interior dos pulmões, as ramificações das veias não acompanham os brônquios

c)      possuem como origem  três troncos para cada pulmão

d)      a veia do lobo médio se une com a do lobo superior no pulmão esquerdo

e)      duas respostas estão certas

 87.  Ao analisarmos as VEIAS, de um modo geral, podemos verificar que elas:

 a)      são mais calibrosas e em maior número que as artérias

b)      seus condutos sistêmicos são de três tipos: superficiais, profundas e seios venosos

c)      suas paredes são mais delgadas que as paredes das artérias

d)      todas as alternativas estão certas

e)      todas as alternativas estão erradas

 88.  As VEIAS SUPERFICIAIS DA FACE, veia facial, temporal superficial, auricular posterior, occipital e retromandibular são TRIBUTÁRIAS de quais vasos?

 a)      veias jugulares externa e interna

b)      veia carótida interna e externa

c)      veias vertebrais

d)      veias cervicais

e)      veias do encéfalo

 89.  Durante o módulo de osteologia do primeiro ano da Faculdade de Medicina de Petrópolis alguns estudantes tiveram a sorte de realizar a prova prática de anatomia com o professor Luís Fernando. Durante o exame, ao observarem atentamente a base do crânio, os estudantes notaram a presença de uma proeminente marca de giz e logo associaram tal marcação ao acidente anatômico SULCO DO SEIO SIGMÓIDE. Agora, após terem estudado exaustivamente o sistema cardiovascular, os estudantes podem afirmar que tal acidente aloja o SEIO SIGMÓIDE. Este é apenas um dos muitos outros SEIOS DA DURA-MATER. O que são estes seios?

 a)      são lojas arteriais que mantém a circulação constante, evitando assim hipertensão

b)      são condutos venosos que drenam para a veia jugular interna

c)      são seios paranasais profundos e que são acometidos por secreção durante a meningite

d)      são seios do sistema linfático que possibilitam a interação antígeno-anticorpo

e)      são seios compostos de tecido nervoso que possuem poderosos quimioceptores

 90.  Um seio PÓSTERO-SUPERIOR da dura-mater é:

 a)      o seio transverso

b)      o seio cavernoso

c)      o seio petroso superior

d)      o seio petroso inferior

e)      nenhum destes, todos acima são seios ântero-inferiores

 91.  A veia jugular interna é uma tributária direta da braquiocefálica. A VEIA JUGULAR EXTERNA e a VEIA VERTEBRAL são tributárias de qual veia?

 a)      também do tronco braquiocefálico

b)      da veia cava superior

c)      da veia subclávia

d)      da veia jugular interna

e)      NRA

 92.  Uma veia superficial do membro superior que é originada na rede venosa dorsal da mão, dirige-se proximalmente na superfície posterior do lado ulnar do antebraço e se tornando profunda, sobe do lado medial da artéria braquial, sendo uma poderosa tributária da veia braquial é:

 a)      veia cefálica

b)      veia basílica

c)      veia interóssea posterior

d)      veia dorsal dos dedos

e)      veia mediana do cotovelo

 93.  É uma veia especial do tórax, que drena o sangue da parede torácica e espaços intercostais. Ascende do lado direito da CV, posteriormente à aorta. É a primeira tributária da veia cava superior e une-se a ela após cavalgar o pedículo pulmonar direito. De qual vaso estamos falando?

 a)      da veia subclávia

b)      da veia braquiocefálica

c)      da veia ázigos

d)      da veia intercostal suprema

e)      da veia cava inferior

 94.  Várias veias que emergem do dorso do testículo, recebem tributárias do epidídimo,  formam um plexo tortuoso, constituindo a maior massa do funículo espermático. Esse plexo vai convergir, formando, de cada lado do corpo  uma veia testicular. A veia testicular direita abre-se na veia cava inferior. Qual o nome deste plexo e onde se abre a veia testicular esquerda?

 a)      plexo testicular – veia vaca inferior

b)      plexo espermático – veia cava inferior

c)      plexo pampiniforme – veia renal esquerda

d)      plexo vesical – veia renal esquerda

e)      plexo cremastérico – veia renal esquerda

 95.  Começa posterior ao maléolo lateral, sobe inicialmente ao longo da borda lateral do tendão calcâneo e depois cruza-o para alcançar a parte média do dorso da perna. Possui de nove a doze válvulas e é tributária da veia poplítea. Que veia é essa?

 a)      veia safena magna

b)      veia safena parva

c)      veia femoral

d)      veia dorsal da perna

e)      veia tibial posterior

 96.  O SISTEMA PORTA inclui  todas as veias que drenam da parte abdominal do tubo digestivo e do baço, pâncreas e vesícula biliar. Destas vísceras o sangue é conduzido para o fígado através da veia porta. Dentre as seguintes veias, aquela(s) que não faz(fazem) parte do sistema porta é:

 a)      veia esplênica

b)      veia mesentérica superior

c)      veia gástrica direita e esquerda

d)      veias císticas e para-umbilicais

e)      todas acima fazem parte do sistema porta

 97.  O DUCTO LINFÁTICO DIREITO drena a linfa de qual região do corpo?

 a)      dos membros superiores membro inferior direito

b)      dos membros inferiores e membro superior direito

c)      somente dos membros direitos e lado direito do tórax

d)      do lado direito da cabeça, do membro superior direito e lado direito do tórax

e)      NRA

 98.  A origem dilatada do DUCTO TORÁCICO é denominada:

 a)      cisterna lombar

b)      cisterna torácica

c)      cisterna do quilo

d)      cisterna do tronco

e)      cisterna aórtica 

99.  O DUCTO TORÁCICO desemboca em em qual região do corpo humano?

 a)      na veia cava inferior

b)      na veia cava superior

c)      na junção da veia jugular interna esquerda e da veia subclávia esquerda

d)      na junção da veia jugular externa esquerda e da veia subclávia esquerda

e)      na junção da veia jugular externa direita e da veia subclávia direita

100. A disseminação das células tumorais para os linfonodos satélites é uma terrível catástrofe. Esta procura é realizada quando se deseja verificar a:

 a)     existência do câncer

b)      origem do câncer

c)      patogenia do câncer

d)      intensidade do câncer

e)      malignidade do câncer

  GABARITO  

1-D

2-B

3-B

4-D

5-E

6-C

7-D

8-E

9-B

10-B

11-A

12-D

13-B

14-B

15-C

16-C

17-C

18-A

19-E

20-D

21-E

22-A

23-E

24-C

25-E

26-A

27-D

28-E

29-E

30-B

31-C

32-B

33-C

34-C

35-B

36-E

37-E

38-C

39-D

40-B

41-C

42-D

43-E

44-C

45-B

46-D

47-B

48-D

49-C

50-E

51-B

52-D

53-D

54-B

55-E

56-A

57-B

58-D

59-D

60-C

61-A

62-E

63-D

64-D

65-D

66-C

67-E

68-B

69-A

70-B

71-E

72-A

73-E

74-C

75-C

76-D

77-C

78-E

79-B

80-E

81-A

82-B

83-E

84-D

85-E

86-B

87-D

88-A

89-B

90-A

91-C

92-B

93-C

94-C

95-B

96-E

97-D

98-C

99-C

100-E