ANATOMIA  DO ESÔFAGO

        O esôfago é um órgão tubular que tem como função conduzir o alimento da faringe até o estômago. Possui aproximadamente 25 cm de comprimento desde sua origem que é ao nível de vértebra cervical de número 6 até a junção esofagogástrica que está localizada ao nível de vértebra torácica de número 11.

        De acordo com sua localização, o esôfago pode ser classificado em esôfago cervical, torácico ou abdominal. Durante seu trajeto ele relaciona-se com determinadas estruturas que poderão comprimi-lo e desde modo diminuir seu lúmen que geralmente é de aproximadamente 22 mm. Estas estruturas são, de cima para baixo,  a cartilagem cricóide ( ao nível de vértebra cervical de número 6), o arco da aorta (no mediastino superior), o brônquio principal esquerdo (logo abaixo da constrição aórtica) e finalmente o diafragma que permite a  passagem do esôfago pelo hiato esofagiano. Estas estruturas podem ser observadas indiretamente através de exames contrastados de esôfago como por exemplo após a deglutição de bário, estes exames também mostram estruturas adjacentes ao esôfago que podem estar alteradas. Um exemplo é a cardiomegalia por aumento de átrio esquerdo que produzirá um abaulamento posterior no esôfago torácico próximo ao hiato esofagiano.

        O esôfago é constituido por musculatura de dois tipos. O esôfago cervical e o início do esôfago torácico é formado por musculatura estriada e a medida que ele aprofunda-se pelo tórax sua musculatura sofre uma transição para músculo liso de modo que no terço inferior do esôfago é predominante a musculatura lisa. Esta característica da disposição da musculatura é que determinará a velocidade de passagem do alimento mais lentamente no seu terço inferior. Uma vez dentro do esôfago,o alimento será impulsionado pelo peristaltismo próprio do esôfago, e este é produzido através de ondas que são classificadas em primárias, secundárias e algumas vezes terciárias.

        As relações anatômicas do esôfago cervical são: posteriormente a coluna vertebral desde vértebra cervical de número 6 até vértebra torácica de número 1, anteriormente relaciona-se com a traquéia intimamente, lateralmente está separado por fáscias dos grandes vasos do pescoço como por exemplo a carótida comum e sua divisão, a veia jugular interna, nervo vago e nervo hipoglosso.

         O esôfago torácico atravessa o mediastino superior e posterior, sendo que no mediastino superior relaciona-se com o arco da aorta e com a divisão da  traquéia em brônquios principais direito e esquerdo. Já no mediastino posterior ele atravessa um espaço localizado entre os dois pulmões, isto também é observado no mediastino superior, passa por trás do coração  e atinge a abertura do diafragma ( hiato esofagiano).Tanto no mediastino superior como no mediastino posterior o esôfago relaciona-se posteriormente com a coluna vertebral.

         O esôfago abdominal é a menor parte do esôfago, geralmente com apenas 2 cm de comprimento, logo após atravessar o hiato esofagiano o esôfago desvia-se para a esquerda e alcança o estômago na junção esofagogástrica.

         A junção esofagogástrica é uma região de muita importância pois nesta área encontra-se um esfíncter,chamado esfíncter esofagiano inferior, que evita o refluxo gastroesofagiano. Parece ter também muita importância neste mecanismo o fato do esôfago estar localizado ( pelo menos por 2 cm ) dentro da cavidade abdominal, uma vez que a pressão positiva dentro do abdome colabaria a porção abdominal do esôfago evitando desta forma o refluxo do estômago para o esôfago. Quando ocorre um desarranjo desta porção do esôfago, como por exemplo na hérnia de hiato esofagiano por deslizamento, observamos refluxo para o esôfago e posterior esofagite.

 ANATOMIA  DO ESTÔMAGO

         O estômago é uma porção do tubo digestivo sacular, localizado entre o esôfago e o duodeno, e que tem como principal função a digestão do alimento através da ação  do suco gástrico.

          Ele possui uma parede anterior e outra posterior que juntam-se nas curvaturas gástricas maior e menor , sendo a curvatura menor côncava à direita e a curvatura maior convexa e localizada à esquerda. A junção do estômago com o esôfago se faz através da junção esofagogástrica e a região que separa o estômago do duodeno chama-se piloro, tanto proximalmente como distalmente, as aberturas do estômago são dotadas de um mecanismo esfincteriano que evita o refluxo do alimento.

        O estômago pode ser dividido em quatro porções : cárdia, fundo, corpo e parte pilórica.

         A cárdia é a região adjacente ao esôfago, possui no seu interior glândulas cárdicas, porém não há um limite externo preciso que separe esta região das regiões adjacentes. O fundo gástrico é a porção do esôfago que localiza-se superiormente a um plano imaginário e horizontal que atravessa a junção esofagogástrica, geralmente nesta porção encontramos ar (50 ml) que são normalmente deglutidos junto com o alimento, e este ar é visto ao RX simples de abdome na posição ereta. O corpo é a maior porção do estômago, está separado superiormente do fundo e da cárdia e inferiormente da porção pilórica. A área de separação inferior do corpo e porção pilórica pode ser localizada através da incisura angular que é uma depressão na curvatura menor do estômago. Finalmente a porção pilórica, localizada entre o corpo do estômago e o duodeno,  pode ser dividida em duas partes : antro  e canal pilórico, sendo o canal pilórico formado por uma musculatura espiralada conhecida por piloro.

         Estratigraficamente o estômago pode ser dividido em 4 camada que são de fora para dentro : camada serosa peritoneal, porção muscular, submucosa e mucosa. a porção muscular gástrica é representada por 3 camadas de músculos (circular,  longitudinal e obliqua). Existe um marcapasso localizado no corpo do estômago que determina a contração da musculatura gástrica, os impulsos elétricos são produzidos numa freqüência de 20 em 20 segundos, e uma onda peristáltica formada no corpo impulsiona o alimento do estômago para o duodeno.

        O estômago possui geralmente a forma da letra (J) , é bastante móvel e possui uma grande capacidade de relaxamento podendo armazenar grande quantidade de alimento, porém geralmente sua capacidade é de 1 a 2 litros

         As relações do estômago com os órgãos abdominais são: anteriormente  com o diafragma, cólon transverso, fígado e parede abdominal anterior, posteriormente relaciona-se com a bolsa omental ou pequena cavidade, diafragma, glândula supra -renal esquerda, pâncreas, rim esquerdo e mesocólon transverso. A posição  do estômago é bastante variável, sendo que estas relações podem ser modificadas de acordo com a posição da pessoa ou estado de enchimento do estômago.